A Faculdade de Medicina de Rio Preto – Famerp será um dos 12 polos de pesquisa para a vacina contra a Covid-19 no Brasil. O anúncio foi feito nesta quarta-feira, dia 1º de julho, pelo governador do Estado de São Paulo, João Dória, em entrevista coletiva.

Os testes aguardam aprovação da Anvisa, que deverá acontecer ainda nesta semana. Além da Famerp, no estado de São Paulo, as doses serão aplicadas pelo Hospital das Clínicas, Instituto de Infectologia Emílio Ribas, Hospital Israelita Albert Einstein,
Universidade Municipal de São Caetano do Sul, Unicamp e Centro de Saúde da Universidade de São Paulo em Ribeirão Preto.

A nova vacina foi desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac Biotech. A empresa afirmou que os testes realizados indicaram que 90% das pessoas produziram anticorpos contra a doença após duas semanas da aplicação e não foram identificados efeitos colaterais.

Em Rio Preto, os testes serão conduzidos pelo Laboratório de Virologia da Famerp, junto ao complexo hospitalar da instituição. Metade dos voluntários será vacinada com a nova imunização e a outra metade com doses placebo (medicamento sem efeito).
O objetivo é que nem o pesquisador nem o paciente saibam o que recebeu para que isso não interfira no resultado do estudo.

“Vacinação é a maneira mais eficaz para evitar doenças, por isso a importância do desenvolvimento da imunização para a Covid-19. Já estamos estudando, em outra pesquisa, os efeitos dessa doença no organismo humano. Agora vamos contribuir o desenvolvimento da vacina”, explica Maurício Lacerda Nogueira, chefe do Laboratório de Virologia da Famerp.

Além de aplicar as vacinas nos voluntários, os profissionais da Famerp vão acompanhar os pacientes para verificar a eficácia da imunização e se houve algum efeito colateral. A partir da próxima semana serão divulgados os critérios para seleção de voluntários.

“O incentivo à pesquisa é um dos pilares da nossa instituição. Essa escolha demonstra não só a qualidade dos nossos laboratórios, que contam os equipamentos mais modernos, como reforça a alta capacidade de nossos profissionais”, disse Dulcimar Donizeti de Souza, Diretor Geral da Famerp.

Esses testes da vacina chinesa no Brasil foram viabilizados pelo Instituto Butantã. Essa é a última fase exigida por agências regulatórias antes da aprovação de um medicamento ou terapia. O governo do Estado de São Paulo investiu 85 milhões de reais para a realização do estudo e a expectativa é de que a vacina esteja disponível no SUS até junho do ano que vem.

Vamos conversar?

Preencha o formulário abaixo e nos conte o que você precisa.

 
(17) 3201-7510
falecom@comunic.com.br