Evento na Famerp marca início da vacinação contra Covid-19 em Rio Preto

São José do Rio Preto, 19 de janeiro de 2021 – A vacina Coronavac – primeiro imunizante aprovado no Brasil contra o coronavírus e testado em 16 centros de pesquisa, incluindo a Famerp – começou a ser aplicada em Rio Preto nesta terça-feira, dia 19, no Centro de Convenções da Faculdade de Medicina de Rio Preto – Famerp. A enfermeira do Hospital de Base, Prisciane Batista, 34 anos, foi a primeira vacinada. “Estou muito feliz, é um alívio. Estou atuando na linha de frente no combate a pandemia e dá muito frio na barriga até na hora visitar meu filho que tem 10 anos”, disse.

A cerimônia de aplicação da primeira dose em Rio Preto contou com a presença do governador do Estado de São Paulo, João Dória, dos deputados estaduais Carlão Pignatari e Itamar Borges e do secretário de desenvolvimento regional do Estado de São Paulo, Marco Vinholi.

Também estiveram presentes o prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo, o diretor geral da Famerp, Dulcimar Donizeti de Souza, o diretor executivo da Funfarme, Jorge Fares, a diretora administrativa do Hospital de Base, Amália Tieco, e o deputado federal Geninho Zuliani, relator da Medida Provisória que prevê um plano global para a aquisição de vacinas contra o novo coronavírus.

A aplicação das doses foi liberada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) no último domingo, dia 17 de janeiro, após a apresentação dos resultados de um estudo que mostrou a eficácia e segurança da vacina. A pesquisa foi feita na Faculdade de Medicina de Rio Preto – Famerp e em outros 15 centros brasileiros e contou com 12,5 mil voluntários.

As 7 mil doses que chegaram a Rio Preto serão aplicadas inicialmente nos profissionais de saúde que estão atuando na linha de frente de combate à Covid-19. Os voluntários que participaram da pesquisa do Butantan, mas receberam placebo, também terão prioridade e serão vacinados no Centro de Pesquisas Clínicas da Vila Toninho.

A sequência do cronograma de vacinação ainda não foi divulgada pela Secretaria de Estado da Saúde e também depende da disponibilização de novas doses. Nesta segunda-feira, dia 18, o Instituto Butantan fez à Anvisa um novo pedido de uso emergencial de 4,8 milhões de doses da Coronavac que já estariam prontas para distribuição.