Equipe Jovem, Ética e Comprometida.

Criatividade e experiência integram o currículo dos profissionais que atuam nas áreas de assessoria de imprensa, comunicação corporativa e áudio visual da Comunic...

Notícias

Empresa de software cria projeto para incentivo do empoderamento feminino

06/03/2018

Empresa de software cria projeto para incentivo do empoderamento feminino


Embora ainda seja minoria no segmento de tecnologia, a mulher tem sua representa-tividade nas vagas de trabalho nesta área. Na Shift, elas são 30% do quadro de colabo-radores e ocupam quase 1/4 dos cargos de liderança.


Segundo Cristina Bertolino, Gerente de DHO da Shift, o programa, intitulado ?Shift por Elas?, surgiu após uma primeira reunião, em que foi debatido empoderamento femi-nino, cultura machista, além das percepções e experiências de cada uma delas, relaci-onando a como o machismo impacta direta e indiretamente no mercado de trabalho.


?Visamos assegurar um clima organizacional saudável por meio da disseminação de nossos valores e da prática de uma comunicação aberta. Nossa filosofia de gestão de pessoas se baseia nos pilares da certificação Great Place to Work, então buscamos promover um ambiente de trabalho em que os colaboradores confiam nas lideranças, sentem orgulho do que fazem e apreciam as pessoas com quem convivem?, acrescen-ta Cristina.


De acordo com o estudo global de 2014 da Fenwick & West, apenas 25% dos postos de computação e TI são ocupados por mulheres. Cristina comenta esse dado demonstra que a Shift está acima da média e tem a expectativa de ampliar esse número, por meio de iniciativas de incentivo às mulheres, que vão desde a flexibilização do horário de trabalho, igualdade salarial, planos de carreira, à licença de maternidade estendida e auxílios de creche e nascimento.


Abrir o espaço para discussões no âmbito do empoderamento feminino se revelou uma oportunidade para as colaboradoras compartilharem suas opiniões e experiências acerca do gênero em ambientes de trabalho. Durante os encontros do programa, são discutidas ações e atitudes que podem promover maior equidade e lidar com situações de diferença e desafios profissionais. 


?O mercado precisa investir ainda mais em treinamentos, palestras e grupos de dis-cussões para que se sensibilize sobre a questão da mulher nas organizações. Come-çando pela política de cargos e salários, com propostas igualitárias para todos e pas-sando por questões comportamentais e de evolução de carreira?, conclui Cristina.


Informações de apoio:


? O PNAD aponta que apenas 15% dos alunos dos cursos de ciências da computação e engenharia são mulheres, e 80% desistem no primeiro ano de curso


? Apesar de o mercado tecnológico continuar sendo amplamente ocupado pelo público masculino, as conquistas das mulheres são cada vez mais comuns e devem ser cele-bradas. Grace Hopper foi a criadora daquele que é considerado o primeiro software do mundo. Hoje, marcas que são referência no setor, como Yahoo e Hewlett-Packard, possuem CEOs do sexo feminino.


? Em média, as mulheres estudam mais que os homens. No Brasil, elas representam 60% dos graduados e detém 51% dos diplomas de pós-graduação.